Para Cluny, Cluny e meio.

Os Cluny e os conflitos de interesse

A relação entre António Cluny e o filho João Lima Cluny com os meandros do futebol já não é recente. Já nos emails do ex-Director Juridico do Benfica, que eram publicados pelo Mercado de Benfica, nos tínhamos cruzado com o nome João Cluny, o que faz sentido, sendo este colaborador bastante presente na BenficaTV, como já mencionamos anteriormente no Twitter:
https://twitter.com/EPCorruptum/status/1098587804479746048

Algumas provas desta participação na BTV, estão inclusivamente no próprio site da sociedade de advogados em que João Lima Cluny trabalha, a MLGTS (Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados)
https://www.mlgts.pt/en/resources/news/?f_team=264



Sendo que o Sport Lisboa e Benfica é uma das partes interessadas na extradição do Rui Pinto para Portugal, por suspeitas deste ser o “Hacker dos emails”, logo aqui há conflito de interesses e António Cluny deveria ter pedido escusa, mas não o fez. Tudo isto explica perfeitamente os comentários deste na conferência de imprensa da Eurojust.

Uns dias após esta conferência de imprensa, António Cluny, já contaminado pelo conflito de interesses, publica este artigo completamente descabido no “jornal” i. https://ionline.sapo.pt/artigo/646189/-privacidade-e-protecao-de-dados-incoer-ncia-ou-a-logica-da-batata-?seccao=Opiniao_i
Do qual conseguimos tirar umas linhas particularmente interessantes:


O que choca verdadeiramente é a hipocrisia daqueles que, indignados com a condescendência – abusiva, segundo eles – que as autoridades judiciais desenvolvem ante o uso policial assumido e controlado de técnicas e meios de investigação intrusivos, por outro lado, aprovam paternalisticamente tais práticas se concretizadas por hackers engenhosos e simpáticos, especialmente se dirigidas à exibição de informação que, por uma ou outra razão, consideram ser do interesse público divulgar.


Nestes casos, os rigores da lei podem cair facilmente.

Admito bem a discordância de princípio com a utilização mal justificada de meios de investigação intrusivos, mesmo que autorizados judicialmente, e bem assim a indignação com as fugas de informação correspondentes.

Isto, mesmo que estejam em causa crimes graves e socialmente muito danosos.

O que já não entendo é a falta de lógica nos comentários dos que, exigindo um posicionamento rigoroso às autoridades, quase absolvem, ou justificam, os que, por qualquer razão fútil ou interesse menos claro, atuam livremente e à margem da lei como pequenos Zorros justiceiros, introduzindo-se em áreas de informação reservada e divulgando publicamente os respetivos dados.

Não só esta parte final foge completamente do resto do artigo de opinião, como também pretende dar uma bicada e influenciar a opinião pública de que não devemos denunciar publicamente crimes, mesmo que tenhamos acesso a provas dos mesmos.

Se tal não tivesse sido feito anteriormente, onde estariam agora os crimes revelados por Assange, Snowden, Defour e outros tantos que desencadearam processos mediáticos e esquemas de lavagem de dinheiro e fraude fiscal, como por exemplo os Panama Papers ? E já que estamos a falar de violação de dados pessoais, podemos incluir aqui a Cambridge Analytica? Sabe que esta informação veio de alguém que tinha acesso a informação reservada e divulgou a mesma, o que acabou por desencadear a famosa GPDR(RGPD em português), de que tanto se gaba de conhecer ?
Caso esse que acabou por levar o próprio CEO do Facebook ao Senado Norte Americano.

Mas, chega de apartes, voltando ao conflito de interesses:
Nenhum orgão da CS Portuguesa se dignou a investigar isto. Ora, ainda bem que enquanto estrangeiro, tenho outros meios de fazer chegar a informação a quem de direito. O que resultou disto foi uma investigação mais aprofundada ao possível conflito de interesses, tendo vindo a descobrir algo ainda mais alarmante que a colisão com o Benfica.
Artigos:

https://www.mediapart.fr/journal/international/260219/football-leaks-le-conflit-d-interets-majeur-du-magistrat-portugais-d-eurojust


http://www.spiegel.de/sport/fussball/football-leaks-ein-ganz-neutraler-vater-a-1255098.html

Então não é que o João Lima Cluny, via MLGTS, esteve envolvido em processos que envolvem o Cristiano Ronaldo, o José Mourinho e o próprio Jorge Mendes? Se isto não é conflito de interesses, não sei o que será!
E talvez o facto de termos uma procuradora, viúva de um dos melhores amigos do alvo a ser investigado. Será?

No entanto, há mais um nome curioso que surge no artigo do Der Spiegel, o advogado Carlos Osório de Castro, representante legal de Ronaldo há muitos anos. Onde já ouvimos este nome?! Correcto. Nos emails do Benfica.

Entretanto, enquanto escrevia, António Cluny já veio reagir ao Der Spiegel, dizendo que só o fizeram para criar um clima de suspeição.
Cluny, Cluny, para alguém muito experiente, está a seguir muito a desinformação que caracteriza certo clube.

https://desporto.sapo.pt/futebol/artigos/antonio-cluny-rejeita-conflito-de-interesses-nas-funcoes-que-desempenha-na-eurojust

Post navigation

Leave a Reply